Local, data e hora

ingressos

Grátis

Instalação

Campo antípoda

Christine Greiner, Ricardo Muniz e Hideki Matsuka
Brasil-SP

Recomendação Etária

Livre

Duração

8h30 às 17h

Descrição

Campo Antípoda tem a cultura japonesa e as imagens do corpo e da criação no Japão como tema de discussões entre coreógrafos, performances, conversas e lançamentos de livros que ocorrem dentro de uma instalação/ambiente.

Nos últimos anos, vários criadores de dança têm proposto diálogos (reais ou imaginários) com o Japão e com as imagens do corpo japonês. Muitas vezes, não se trata propriamente de uma pesquisa estética ou do aprendizado de treinamentos específicos (butô ou teatro nô), mas sim, de uma certa fabulação do corpo e da cultura japonesa. Estes coreógrafos também não pensam em explorar o exotismo nem mimetizar o Japão, mas sim, em testar experimentos que ao imaginar o outro reinventam a si mesmos. Um Japão como gatilho para criação. É disso que se trata o Campo Antípoda. Uma instalação/ambiente de performances, espetáculos, conversas e lançamentos de livros para desterritorializar o Japão e a todos nós.

Ficha técnica

  • Concepção: Christine Greiner é professora livre-docente do Departamento de Linguagens do Corpo da PUC-SP, onde coordena o Centro de Estudos Orientais.
  • Concepção: Ricardo Muniz Fernandes é curador e produtor cultural independente, dirigiu importantes projetos internacionais no Brasil de diretores como Bob Wilson, Jan Fabre, Living Theatre, entre outros. Junto a Peter Pál Pelbart, é editor chefe da n-1 Edições.
  • Concepção: Hideki Matsuka é arquiteto formado pela FAU – USP, tem ativa participação nas áreas de cenografia para espetáculos cênicos desenvolveu, entre outros projetos expográficos: Tokyogaqui, A Revolta da Carne e Máquina Tadeusz Kantor.

Baixe o Guia de bolso e aproveite!