[peças sonoras] Mover(-se): Sete Peças Para Deslocar-se de Dentro pra Fora

Filtros:
Filtrar por
Data
  • 02 de out
  • 03 de out
  • 04 de out
  • 05 de out
  • 06 de out
  • 07 de out
  • 08 de out
  • 09 de out
  • 10 de out

[peças sonoras] Mover(-se): Sete Peças Para Deslocar-se de Dentro pra Fora

Coletivo Teatro Dodecafônico

Data e hora

03/10/21—10/10/21

Recomendação etária: Livre

Flanador assumido em lugares públicos ou salas multiuso, por vezes subvertendo modos convencionais de navegar em redes sociais, o Coletivo Teatro Dodecafônico combina duas plataformas de interação em Mover(-se): sete peças para deslocar-se de dentro pra fora. Seja convidando o público a deambular por meio de peças sonoras, seja de programas performativos (cards compartilhados pelo Instagram) que poderão ser acionados no tempo e no espaço conforme a disponibilidade de cada pessoa. 

Deslocar-se, descentrar(-se), caminhar de volta pra rua, mover(-se) da casa à cidade, das memórias íntimas às ancestrais. Mover a própria pele, ossos, carne e mover(-se) em direção aos outros. Deslocar para modificar a ordem, provocar desordem, perturbar, desorganizar. Transpor, transportar ideias, matérias, cidades e imaginar outros futuros possíveis. 

São algumas das ambições formais desses artistas da capital paulista, que desde 2008, colocam no radar de pesquisa provocações e estímulos transdisciplinares. 

Na presente proposta, sete peças convidam as pessoas a se moverem e criarem pontes com a programação da Bienal Sesc de Dança. São diálogos transversais, entrelaçamentos possíveis entre diferentes campos, vozes e criações dos coletivos e artistas presentes.

Antes de começar, leia algumas sugestões que ajudam na fruição de cada peça sonora:

  • Abra o link no seu celular, conectado à internet, para poder se mover pela casa e caminhar pela cidade.
  • Se você não tiver internet na rua, certifique-se de baixar o áudio para escutar em modo offline
  • Utilize fones de ouvido, isso ajuda na conexão com a proposta.
  • Recomendamos que você coloque o celular no bolso, em uma pochete ou em uma bolsinha para deixar as suas mãos livres.
  • Algumas propostas te convidam a registrar a experiência. Compartilhe com a gente! @coletivododecafonio #moverse #coletivododecafônico

03/10 [peça sonora] Peça pele – entre corpo e casa
A peça propõe um percurso pela casa, experimentando deslocamentos do corpo, dos sabores e da voz. É um convite à explosão em tempos de distanciamento social, polarização política e barbárie. Duas ou mais pessoas tocando suas peles, cada uma em sua casa, cada uma em seu tempo, poderiam formar um coletivo? – é a pergunta inspiradora da poeta Ana Martins Marques. Uma evocação às marchas, um ensaio para uma revolta por vir – é o convite de Paulo Freire que ainda ressoa em nós.
Música: April Kisses, de Eddie Lang

04/10 [card] Peça Mapa
Veja no Instagram do Sesc Campinas.

05/10 [peça sonora] Peça espaço – ensaio para lembrar
A peça nos convida a observar o espaço da casa e da cidade, escavando memórias, propondo movimentos possíveis a partir dos objetos, da arquitetura e do entorno do lugar que cada um habita. Articula pensamentos do geógrafo Milton Santos, do arquiteto Juhani Pallasmaa e da bióloga Donna Haraway, enquanto propõe pequenas doses de reflexão,  entrelaçando-nos ao mundo enquanto conversamos com ele. Músicas: Papaloko, de Axial e Awful, de Josh Pan

06/10 [card] Peça para plantar-se
Veja no Instagram do Sesc Campinas.

 07/10 [peça sonora] Peça pergunta – desvio para o outro
A peça invoca um desvio do eu para o outro, um mergulho em si para em seguida ir ao encontro das alteridades que nos constituem e que nos diferenciam, entre os corpos que nos habitam e aqueles que transitam pela cidade. Uma coleção de perguntas para propor deslocamentos ao pensamento e ideias fixas, um jogo de errância, o avesso da assertividade das afirmações, uma evocação do que se mantém em trânsito. (Re)conhecimentos de Judith Butler se articulam às práticas de reimaginação do mundo instigadas por Jota Mombaça.

08/10 [card] Peça para sonhar
Veja no Instagram do Sesc Campinas.

10/10 [peça sonora] Peça chão – ouvir os fluxos da terra
A peça parte da escuta do fluxo das águas e da busca pela terra, convidando quem escuta para um percurso entre corpo, casa e cidade. O corpo como possibilidade de entrelaçamento entre águas e terras na casa. Observar porções de terra, desde esse espaço íntimo até as ruas da cidade, propondo um deslocamento de terras no espaço urbano, como uma reelaboração simbólica dos territórios em constante disputa. Um trecho do Manifesto da Articulação Nacional das Mulheres Indígenas, reflexões de Walter Benjamin e Uýra Sodoma são vozes que se cruzam para revolver, transmutar e reflorestar territórios.  Músicas: Squamata e Thoracica, de Craca Beat.

Ficha Técnica

Concepção geral: Coletivo Teatro Dodecafônico
Roteiro e vozes: Beatriz Cruz, Hideo Kushiyama, Ierê Papá, Monica Galvão, Olívia Niculitcheff, Paulina Caon, Verônica Veloso
Edição: Ierê Papá
Gravação: Sandra-X
Masterização: Felipe Julian
Design cards: Vânia Medeiros

Data e hora

03/10/21—10/10/21

Recomendação etária: Livre

Programação relacionada
[mostra de filmes] Ó, meu corpo! Uma coleção de filmes incorporados

O corpo como território de disputas e construções. Curadoria de Amaranta Cesar.

  • 02/10/21—10/10/21
Compartilhe

Programação Ao Vivo | out 2021